Um ponto de interrogação: o futuro de nós

Driftin’

Essa história de passado no presente, essa mistura de tempo, me confunde um bocado grande. Acho que estamos aqui por motivos talvez desconexos e, talvez seja hora de dizer adeus!
Tenho um pouco de medo de tudo isso. Sonhei na noite passada e não gostei nada do que vi. Acho que estou a me tornar um monstro num corpo angelical. Sinto pelas coisas que penso e penso poder fazer sem o menor senso de pudor e honra (ao menos visto pelos outros)

Colocaram-me nessa jaula chamada sociedade, mas eu preferia o tempo em que com ele eu vivia e o que nos importávamos era qual museu visitaríamos, qual comida típica iríamos almoçar ou qual romance discutiríamos após o jantar. Ele se foi e me joguei neste mundo novo. Não quero fazer de ti um tiro no escuro! Sendo assim, a partir desse momento eximo-me de qualquer responsabilidade sobre teus sentimentos sobre mim. Temo pois acho que você se apaixonará por mim.

Termino aqui. Confusos são os dias e as horas nessas terras... mesmo sendo um bom dia que aqui dizem aos bons, preferia um até logo a um adeus teu.

Até logo
J.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

interrogações

Três Estações

rosa-dos-ventos